quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Após críticas do PSOL, começa eleição no Senado

Com o encerramento do discurso do candidato do PSOL, Randolfe Rodrigues (AP), começou há pouco a eleição para a presidência do Senado. Convidado a debater, o candidato do PMDB à reeleição, José Sarney (AP), preferiu não subir à tribuna e deixou o adversário falando sozinho. Mas seu conterrâneo não se intimidou e despejou críticas à administração do Senado.
Em sua manifestação de cinco minutos, Randolfe citou Ulysses Guimarães, o prêmio Nobel de Literatura José Saramago, Weber e Lenin. Ao citar o escritor português, autor da máxima de que a palavra mais importante é "não", o candidato exortou os colegas a reproduzi-la. "Vamos dizer não à injustiça e à desigualdade, vamos dizer não ao patrimonialismo, não aos excessos administrativos", conclamou o socialista, criticando as práticas políticas que caracterizam o Senado nos últimos anos.
A candidatura avulsa de Randolfe não chega a incomodar o PMDB, prestes a reconduzir Sarney ao quarto mandato na presidência do Senado. No entanto, a iniciativa do PSOL retardou a reeleição de Sarney, já que a existência de dois candidatos obriga a votação em cédulas de papel. Se fosse a candidatura única, a votação poderia ser simbólica.
Fonte: O Estado de São Paulo
01/02

Um comentário:

  1. Maygon André Molinari18 de fevereiro de 2011 13:50

    Pela postura de Randolfe somos convidados a pensar (sonhar?) que ainda é possível um discurso verdadeiramente '´político' no senado. A impressão que se tem é que 'cérebro' é uma coisa que parece ter sido destinado a uma coisa chamada 'esquerda'... Ah, Brasil, tão direito e tão errado... Felizmente a esquerda, com Lula, começou a mostrar que este país poderá se tornar uma nação.

    ResponderExcluir